Sugestão de leitura

Livro: Vidas Secas

Ano: 1938

Autor: Graciliano Ramos

A obra conta a história da família de retirantes que luta pela sobrevivência em meio à interminável seca nordestina. Com uma linguagem depurada, o escritor narra a saga de Fabiano, Sinhá Vitória, a cachorra Baleia, o menino mais velho e o menino mais moço. Assim como o sertão nordestino retratado na obra, a narrativa em “Vidas Secas” é seca, econômica e contundente. A economia de termos, que inclui o pobre vocabulário de seus personagens, reflete a miséria da região e da vida de eternos retirantes em busca do essencial para manterem-se vivos. E é essa mesma seca, da qual eles fogem, que condicionará a moral e o comportamento deles, tornando-os embrutecidos e levando-os a perderem sua humanidade. A obra é um exemplo do romance regionalista do Modernismo dos anos 1930.

Imagem: http://vidasgrsecas.blogspot.com.br/

Resenha (Adaptado): http://lazer.hsw.uol.com.br/melhores-livros-brasil2.htm

Anúncios

A Semana de Arte Moderna

Em 2012, o programa “De Lá Pra Cá” da TV Brasil destacou os 90 anos da Semana de Arte Moderna. Realizada no Teatro Municipal de São Paulo, a Semana foi organizada por um grupo de jovens artistas e intelectuais e marcou o início do Movimento Modernista no Brasil.

Para relembrar esse momento histórico, Ancelmo Gois e Vera Barroso conversaram com o professor e escritor, Eduardo Jardim, o poeta Ferreira Gullar, a socióloga e professora da PUC, Maria Alice Rezende, e o professor Fred Coelho.