Museu do Apartheid: uma viagem ao período da segregação racial

DSC_0243

O Museu do Apartheid está localizado em Joanesburgo, a cidade mais populosa da África do Sul. Essa cidade abriga Soweto, a maior township (favela) sul-africana e um dos principais cenários da luta contra o regime. O museu foi inaugurado em 2001, quando os donos do local foram obrigados a desenvolver um projeto de responsabilidade social em uma área de puro entretenimento. Parte do cassino dava lugar a uma atração político-social que se tornou um dos programas imperdíveis de Joanesburgo.

O Museu do Apartheid reúne um acervo interminável sobre a cronologia do regime de segregação, que vigorou de 1948 a 1994. Uma infinidade de vídeos, fotos, objetos, recortes de jornais e testemunhos escritos direcionam o visitante para uma realidade sombria, na qual viveram os negros por décadas consecutivas.

As armas usadas para combater o apartheid, o massacre em Soweto que arrancou a vida de centenas de estudantes, fotos de líderes históricos como Steve Biko, Desmond Tutu, Joe Slovo e Nelson Mandela estão por toda parte, assim como os discursos do governo sul-africano que insistia em sustentar o apartheid, fazendo uso de justificativas inspiradas no nazismo.

A reconciliação pública entre brancos e negros durante a final da Copa do Mundo de Rugby, em 1995, também ganha destaque no acervo. A vitória na Copa fez com que os sul-africanos esquecessem as diferenças, por pelo menos um curto período, e se unissem, transformando o retalhado país em um único.

O interessante nesse museu é que os ingressos dividem os visitantes em brancos e não-brancos, fazendo-os passar por entradas diferentes, com o intuito de proporcionar certo desconforto aos visitantes e transportá-los a uma época anterior, onde predominava a política de segregação racial.

DSC02192

Fotos e painéis ilustram o caminho que dá acesso ao museu, um labirinto claustrofóbico de arames farpados e forcas sobre as cabeças.

null

O conjunto de cordas penduradas é simbólico e relembra centenas de líderes negros que perderam suas vidas na prisão.

null

Fontes: http://turismo.culturamix.com/cultural/museu-do-apartheid

http://www.pordentrodaafrica.com/mandela/no-museu-do-apartheid-uma-viagem-ao-periodo-da-segregacao-2

Imagens: http://www.viagempelomundo.com/2013/07/museu-do-apartheid-em-joanesburgo-africa-do-sul.html

http://turismo.culturamix.com/cultural/museu-do-apartheid

http://www.meusroteirosdeviagem.com/2011/09/conexao-em-joanesburgo-o-que-fazer-em.html

http://webventureuol.uol.com.br/destinoaventura/in/gauteng/atracoes/atr/1402